MISSÃO DE SAMBO – Nossa Senhora Auxiliadora

Missão de Sambo (Nossa Senhora Auxiliadora)

Esta Missão foi conhecendo pouco a pouco o seu crescimento, seja a nível da vida espiritual como a nível de estruturas. «Depuis deux ans le mouvement des populations vers notre sainte religion s’est singulièrement accentué. Le déclanchement continue. Nous occupons en ce moment par nos catéchistes 50 centres et ceux qui n’ont point encore été atteints viennent demander à coeur et à cris des catéchistes». À sua volta tinham sido edificados estruturas como: internato, moinho e campos para agricultura.
Em todas as Missões, os missionários tinham procurado criar diversas estruturas para possibilitar a educação e instrução dos rapazes, e no caso das aldeias contou muito o empenho dos catequistas. Estas foram autênticos centros de formação, a fim de que a sociedade fosse servida de modo cada vez melhor, e por gente à altura das novas situações.
«A toutes les résidences de catéchistes est attachée une modeste école rurale. En principe ce sont de simples locaux de catéchèse, où beaucoup d’enfants et jeuns gens apprenent à lire, à compter et à parler portugais ; cependant, le premier travail celui que nous exigeons absolument est qu’à la tête du programme se trouve l’instruction religieuse».
Assim, podemos bem constatar qual foi o lugar que ocuparam os catequistas: estiveram na primeira linha a participar activamente na vida da Igreja que se estava a edificar.

Esta Missão, depois de longos anos, sob orientação dos Missionários do Espírito Santo, em 2010, foi entregue à Arquidiocese. Assim, foi nomeado seu primeiro Superior do clero Diocesano, o Revmo Senhor Pe. Constantino Kamwango. Com ele trabalham os Revmos Padres Amílcar Sapitango e Zeferino Kapewa. As Irmãs de S. José de Cluny, que depois de longos anos, por razões de guerra tiveram de abandonar a Missão, se restabeleceram desde 2011.

(Arquidiocese do Huambo desde as suas origens; Pe. Agostinho EKONGO)