1. HISTÓRIA DA ARQUIDIOCESE DO HUAMBO

HISTÓRIA DA ARQUIDIOCESE DO HUAMBO

A Diocese do Huambo (Nova Lisboa), foi criada pela “Bula Sollemnibus Conventionibus”, de 4 de Setembro de 1940, executada a 12 de Janeiro de 1941. Dela faziam parte, por força da mesma Bula: Moçamedes (Namibe), Huíla, Benguela e Huambo. Pouco a pouco a Diocese conheceu vários desmembramentos dando lugar a outras Dioceses. Assim: a 27 de Julho de 1955, com a Bula “Ad Christi Evangelium”, foi criada a Diocese da Huíla (Sá da Bandeira) que abrangia Namibe (Moçâmedes), que desde 2009 se tornou numa Diocese, e naturalmente Huíla (Sá da Bandeira). Foi Administrador Apostólico da nova Diocese após a execução da Bula de Erecção, em 24 de Outubro de 1955, o Senhor D. Daniel Gomes Junqueira, até à posse do seu primeiro Bispo, o Senhor D. Altino Ribeiro de Santana, em 6 de Janeiro de 1956; a 6 de Junho de 1970 com a Bula “Omnimode solliciti”, foi a vez da Erecção da Diocese de Benguela. D. Armando Amaral dos Santos, foi o primeiro Bispo da Diocese recém-criada.

Foi primeiro Bispo da Diocese do Huambo, o Senhor D. Daniel Gomes Junqueira, tendo-a governado de1940 a 1970 ano da sua morte. A Diocese conheceu algum tempo de sede vacante. Nesta altura, a Santa Sé nomeou Administrador Apostólico da Diocese, o Revmo. Senhor Pe. Delfim da Silva Pedro, já Vigário Geral, até que foi nomeado o Senhor Bispo D. Américo Henriques, que era Bispo de Lamego, em Portugal, em 19 de Fevereiro de 1972. Tomou posse, por procuração, da Diocese de Huambo em 21 de Maio de 1972 e entrou na Diocese em 29 de Junho do mesmo ano. Por circunstâncias várias, em 1975, ausentou-se da Diocese regressando à sua terra natal (Portugal). Pelo Decreto Episcopal de 4 de Outubro de 1975, confirmou o Revmo. Senhor Padre Dr. Eugénio Salessu, Vigário Geral da Diocese e declarou-o Representante Legal da Diocese, coadjuvado por um Conselho Governativo.

A Santa Sé nomeou Administrador Apostólico da Diocese do Huambo, o Senhor Bispo D. Manuel Franklin da Costa, Bispo de Saurimo, tendo acumulado as funções das duas Dioceses. Tomou posse como Administrador Apostólico no dia 26 de Abril de 1976.

Dadas as transformações que a Igreja registava, particularmente a angolana,  foram criadas, em 1977, mais duas Províncias Eclesiásticas com sede no Huambo e Lubango. Pela Bula “Qui divino consilio” de 3 de Fevereiro de 1977, a Diocese do Huambo foi elevada à sede Metropolitana. E no mesmo dia, pela Bula “Christianorum utilitibus consulentes”, desligava da Diocese de Saurimo D. Manuel Franklin da Costa para nomeá-lo Arcebispo Metropolita do Huambo. D. Manuel Franklin da Costa, terceiro Bispo e primeiro Arcebispo do Huambo, tomou posse no dia 6 de Março de 1977. Terminou o seu episcopado, depois de dez anos, e a Santa Sé nomeou-o Arcebispo do Lubango, no 20 de Setembro de 1986.

É chegado o momento do quarto Bispo e segundo Arcebispo do Huambo. Foi nomeado o Senhor D. Francisco Viti para a Arquidiocese do Huambo, aos 20 de Setembro de 1986, que tomou posse a 19 de Outubro de 1986. Dom Francisco Viti esteve à frente da Arquidiocese quase 17 anos, até ao dia 31 de Julho de 2003. A Santa Sé, nomeou Administrador Apostólico da Arquidiocese do Huambo, o Senhor D. Óscar Lino Braga, Bispo de Benguela, tendo acumulado as funções de Bispo de Benguela e Administrador Apostólico do Huambo.

A 7 de Abril de 2004, a Santa Sé, nomeou o Senhor D. José de Queirós Alves, Bispo de Menongue, Arcebispo do Huambo. Tomou posse aos 27 de Junho de 2004. Assim, D. José de Queirós Alves é o quinto Bispo e terceiro Arcebispo.